Ma vie en rose

De frente, de lado, de costas. En France.


quinta-feira, fevereiro 09, 2006

E o troféu vergonha pela pessoa vai para...

Nos poucos minutos que a minha paciência permitiu agüentar a apresentação do Grammy, ontem à noite, cheguei à conclusão que o SBT tem uma preferência irrefutável por moçoilas de pouca atividade cerebral para comentar eventos como esse. Já não bastasse Analice ex-Casa dos Artistas levando Rubens Ewald Filho ao desespero devido ao rol de besteiras proferidas durante a transmissão do Globo de Ouro, Adriane Galisteu resolveu seguir o exemplo da colega e disparar absurdos que eu reuni em itens, por ordem crescente de nulidade intelectual:

6- “Esse nariz do Bono [Vox] está estranho. Isso me parece plástica...”
O comentário, feito logo após o U2 ganhar o prêmio de melhor banda pop/rock, deve ter abalado o mercado comercial de todo o mundo...

5- “O problema da Mariah Carey é que ela usa roupas muito claras que realçam sua má forma física”
É realmente um grande problema, especialmente para gente como Galisteu, que vive só da aparência da carcaça...

4- “O Stevie Wonder já concorreu tantas vezes ao Grammy que não deveria nem estar aqui hoje”
Hummmm... nem eu entendi. Ainda bem que ela não resolveu explicar o porquê.

3- “Vocês acreditam que o Grammy premia quesitos como o melhor encarte de CD? Aqui no Brasil ninguém se importa com isso, não...”
Talvez ela se importasse... se soubesse ler.

2- “Franz Ferdinand é uma banda francesa”
Boa tentativa. Se ela continuasse chutando, quanto tempo levaria até dizer: escocesa?

1- “Não sei por que o Eminem tem essa imagem de mau garoto. Imagina só, boa-praça, super bem-casado...”
Um doce de pessoa! Só matou a mãe dele em um vídeo, mas o que isso quer dizer, não é?

Troféu vergonha pela pessoa para ela e troféu pena da pessoa para o pobre do João Marcelo Bôscoli que se via obrigado a corrigir as barbaridades da loira, um zero à esquerda em conhecimentos musicais, e cuja única preocupação era comentar forma física e a vestimenta dos concorrentes.

Infelizmente, tia Galisteu se esforçou, mas não conseguiu superar a apresentação do Globo de Ouro. Analice levou xingões ao vivo de Ewald Filho (“Menina, como é que vou saber quem vai ganhar o prêmio de melhor filme? Você quer que eu diga que vai ser o Brokeback Mountain e acabe com a audiência que espera que O Jardineiro Fiel ganhe?).

Para fechar com chave de ouro, deixou sua grande declaração para o final. Quando Ewald reclamava a falta do longa “King Kong” entre os concorrentes, minha conterrânea (sim, ela é catarinense) franziu a testa, levou o dedo indicador ao queixo, fez aquela carinha de apresentadora inteligente e disse: “Mas quem sabe ‘King Kong’ não volta no próximo Globo de Ouro, não é Rubens?”.

“Vão ler, mulheres!”
(Lygia Fagundes Telles, em entrevista à revista TPM de dezembro, em um apelo por um mundo menos fútil)

5 Comments:

  • At 3:13 PM, Anonymous bibs said…

    a minha irmã sempre diz: "essa mina é muito VA"
    vergonha alheia é uma das piores coisas.
    e sobre essas barbaridades, não tem comentário. não consigo acreditar que elas disseram tudo isso, embora eu sempre acredite em ti, dany.

     
  • At 6:39 PM, Blogger Dany Franco said…

    É, Bibs, sad but true...

     
  • At 7:06 PM, Blogger Priscila Caramello said…

    Dany, eu ouvi essas da taipa do Golden Globe. Não acreditei. Depois que ela falou aquilo do King Kong, o Rubens não teve nem o que falar... Cara, inacreditável.

     
  • At 3:11 PM, Blogger Lella said…

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

     
  • At 3:12 PM, Blogger Lella said…

    e, por acaso, vocês lembram da Babi apresentando o Oscar? Céus, que mundo cruel!!

     

Postar um comentário

<< Home