Ma vie en rose

De frente, de lado, de costas. En France.


terça-feira, janeiro 31, 2006

Sentimentos coletivos

Hoje, ao rever "Os Outros", lembrei de uma situação inusitada sobre quando assisti a esse filme no cinema. A sala estava lotada e o clima de apreensão se estabeleceu desde os primeiros minutos da película. Eu sentia a tensão de todo o público, com exceção do meu amigo e acompanhante Leonardo, que mesmo antes de entrar na sessão, já previa, com seu sotaque manezinho e sua paciência limitada, que o filme era “uma boxta”. Lá pelo meio da trama, quando Grace, a personagem de Nicole Kidman, entra em uma sala onde o piano toca sozinho, as pessoas se comprimiram nas poltronas deixando o clima praticamente saturado pelo nervosimo. Essa é aquela parte típica do filme em que alguma coisa vai ser revelada. Ou seja, era óbvio que alguma coisa assustadora precisava acontecer naquele momento. E, bingo! A porta da sala onde Grace estava se fechou de súbito. Instantaneamente, senti as poltronas vibrarem e, por um instante, me pareceu que elas eram unidas porque se movimentaram de forma sincronizada e simultânea para frente e para trás. Frações de segundos depois, uma risada maquiavélica no meio de todo aquele silêncio parece ter trazido as pessoas de volta à realidade. Ao meu lado, Leo se contorcia de tanto rir do susto conjunto dos espectadores. Mas pior que o sobressalto foi a seqüente sensação de vergonha coletiva. Essa, apesar de não ter tido nenhuma manifestação física, nem o escuro pôde esconder.

2 Comments:

  • At 6:05 PM, Blogger OgrO said…

    Ah vá!! Você ficou com vergonha por causa DISSO? Cara! Mas tomar susto não era pra dar vergonha!
    .
    ..
    ...
    ....À menos que fosse um filme do "Jason" (Sexta-feira 13), aí sim tomar susto deve dar vergonha!

     
  • At 7:20 PM, Blogger Dany Franco said…

    hehehe... mas eu não tomei susto, como disse, já estava esperando :)

     

Postar um comentário

<< Home