Ma vie en rose

De frente, de lado, de costas. En France.


terça-feira, janeiro 23, 2007

I just can't get enough

Dramática, chorona, novela mexicana – me apelidem do que quiserem, mas não sei viver a vida sem intensidade. Desde pequena, sempre fui assim – ou tudo ou nada, extremista mesmo – características que me levaram a decidir, inclusive, que eu sou assim e pronto. E ponto.
Meus sentimentos seguem este mesmo caminho. Se gosto de alguém, não só gosto, mas gosto, quero, preciso, amo, desesperadamente. E não invejo nem um pouco pessoinhas que passam toda a sua existência manipulando seu coração. Pra quê?
Não acredito que nada possa ser eternamente definitivo, nem eternamente temporário. Se é para estar com alguém, que seja por vontade, ou melhor, por muita vontade, por uma necessidade imensa, incontrolável, para sair rodopiando pelas ruas de tanta felicidade ou se descabelando de tanta tristeza dentro de um quarto escuro ouvindo "Heaven knows I’m miserable now" por não ter sido correspondida. Afinal, só temos o saldo positivo ou negativo de um acontecimento depois que ele já passou. E só sabemos o que é bom ou ruim depois de lidar com o que é bom ou ruim. Como classificar, decidir, definir, querer se não nos permitimos conhecer?
Dane-se quanto tempo dura uma paixão, quero mesmo é fazer valer. Se amanhã ou depois ela já não me será presente, não é problema meu. Deixo esta preocupação a quem vive controlando sentimentos, se privando de tudo por este ou por outro motivo que não quero nem saber. Não me interessa aprender a jogar.

6 Comments:

  • At 12:50 PM, Anonymous Anônimo said…

    Parece que acabei de ler uma descrição de mim mesma. :-)

     
  • At 6:07 PM, Blogger OgrO said…

    É isso aí! Viver intensamente = sentir intensamente, o resto é fazer volume, só!

     
  • At 8:13 PM, Blogger Said Sadly said…

    .. sei lá, acho que não tem jogo nenhum.
    Mas acho (acho, eu, centenas de km daí), que vc não precisa se afirmar em nada nesse aspecto da sua vida. Muita Muita gente te Adora e te Respeita; te Ama e te Admira.
    "Sois, assim, um fim em vós mesmos. Fazeis daí, do eterno espelho e do frágil solo, o constante reconforto" (Alcântara. Livro III, 1723).*
    Lindo seu post, pra variar.
    E acho que a coisa pode ser mais leve ainda; a impressão que tive foi de inconsequência, mas é algo mais bonito que isso. Seja lá o que for. Grande Grande Beijo! =**
    ...
    *: ... tá, eu inventei.

     
  • At 11:33 PM, Anonymous Anônimo said…

    I want to knooooow, have you ever seeeen the raaaiin ????

     
  • At 1:21 PM, Anonymous Rubra said…

    Atualiza! :D

     
  • At 4:46 PM, Anonymous Anônimo said…

    isso deve ser coisa de pisciana, né !?

    ôoooo menina, faz isso comigo não, fica falando de mim aí no teu blog !

    :D

     

Postar um comentário

<< Home