Ma vie en rose

De frente, de lado, de costas. En France.


sexta-feira, setembro 24, 2004

Encontros e despedidas

Ontem quando vi a Carlinha e a Mari chorando no Revólver deixei a ficha cair. Isso mesmo. Porque nas últimas semanas evitava pensar nisso, transportava meus pensamentos para outro lugar, fazia de conta que não ouvia quando ele dizia "Faltam duas semanas", "É semana que vem", "Estou indo essa semana". Mas é inevitável: o Vini está indo embora.
Vai ficar um ano na Europa. Poxa, um ano. Fico imaginando como vão ser as coisas a partir de sábado, quando eu chegar sour sour sour em casa do aeroporto, sentar na cama, olhar pela janela e pensar: "E agora?".
E agora, quem vai comigo às Balonês? E agora, quem vai passar na minha casa para me buscar? E para me trazer? E agora, para quem eu vou ligar quando eu estiver desesperada, histérica, enlouquecendo e ficar me ouvindo durante horas a fio? Quem vai rir dos meus problemas e dizer "Ah, pára, não esquenta."? Quem rir dos cachinhos do meu cabelo e ficar me enchendo para alisá-lo? Quem vai me xingar de anos 80? Quem vai me contar histórias nojentas? Quem vai caminhar por aí comigo à noite, procurando alguma coisa pra fazer? Quem vai dizer: "Tá, agora deu, chega, Dany", quando eu tiver minhas crises de exagero, de perseguição, de depressão? Quem vai ficar perguntando toda hora sobre a minha monografia e ficar dizendo: "Cuidado, hein, só faltam dois meses", só para me encher o saco? Quem vai me xingando de gorda, só para rir da minha reação? E agora, quem vai ficar perguntando "Por quê?" no final de cada frase que eu falar? E agora?
Poxa, vai ser muito difícil mesmo. E vai ser assim para todo mundo que ele conhece. Porque é unanimidade, não conheço ninguém que não goste do Vini. E daí fico imaginando que amanhã, quando cada pessoa olhar no relógio e vir ou se der conta que já passou das 10h30min, vai pensar: "E agora?".
Na verdade, já entendi tudo. O Vini já conquistou muita gente por aqui. Já fez muitos amigos. Já foi muito legal por aqui. E ele precisa dividir isso. Conquistar outras pessoas, fazer outros amigos e compartilhar tudo isso que ele é com o resto do mundo. É justo. Se todo mundo tiver um pouquinho da companhia, da amizade, do carinho, da lealdade, do amor, enfim, de tudo que compõe o Vini, vai ser muito melhor.

....................................................................

Obrigada pelo cartão, pela tirinha. Eu também te amo muito muito muito, Vini. E te desejo toda a sorte, toda a força, garra, boas energias, muita festa, muita diversão, muita experiência, muitas histórias engraçadas prá contar. Como dessas que a gente viveu por aqui. E quando estiver triste, lembra da Mari sambando, a Pambeleza, Rainha da Bateria da Rede Pampa, e dá umas boas risadas. Quem sabe quando tu voltares, ela já vai estar famosa por sua ginga, sua mulatice, seu jeito único de sambar.

"Todos os dias é um vai-e-vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai e quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar
E assim, chegar e partir"

(M. Nascimento/F. Brant)

2 Comments:

  • At 2:10 PM, Anonymous Anônimo said…

    Oi Dany, é o Milioli! Só pra mandar um abraço...

    Pô, depois de ler esse texto até eu vou ficar com saudade desse Vini. :)

     
  • At 9:26 PM, Blogger Dany Franco said…

    Só para veres como ele é legal... :)

     

Postar um comentário

<< Home